CVTelecom, uma história de causas e de desafios

 

Os compromissos da CVTelecom
 

O Grupo CVTelecom é herdeiro da área das telecomunicações dos ex - CTT, como resultado da separação dos seus negócios em Correios e Telecomunicações em 1995.
A missão empresarial do Grupo CVTelecom, para além dos compromissos com os seus accionistas, clientes e colaboradores, encerra uma ambição maior para Cabo Verde traduzida num engajamento nas suas dinâmicas de desenvolvimento económico e social. Em coerência, as empresas do grupo têm apostado i) no estado – da - arte das comunicações de modo a propiciar ao País inovação e conectividade de qualidade e ii) nas boas práticas empresariais, sendo pioneiro em áreas como a certificação da qualidade, a ética, a sustentabilidade ambiental e a responsabilidade social.
Graças à CVTelecom, Cabo Verde possui hoje uma Infra-estrutura de Telecomunicações apoiada nos conceitos Banda Larga, Segurança, Qualidade e Digitalização.
A rede nacional de Banda Larga, com base na fibra óptica, em cabo submarino (1997) atingiu, com o fecho do anel em 2002, 803.541 metros e, em cabo terrestre, 868.232 metros, com securização em anéis e com capacidades (9.044.229 de metros de pares de fibra óptica) adaptáveis à procura seja no aluguer de circuitos, seja nas actividades de retalho.
A rede internacional de Banda Larga, também com suporte em fibra óptica, abrange o Cabo Submarino Atlantis II (2000) e, para 2011, o WACS (West Africa Cable Sistem), significando uma contribuição para a conectividade do País em dois sistemas de cabo submarino internacional e um sistema de ligação por satélite (1983).
A rede de comutação, na dinâmica tecnológica, já passou do Strowger (1961, electromecânico), do ESK 10 000 (1985, semi-electrónico), até ao EWSD (1991, digital) para, no ano 2010, chegar à tecnologia IP.
Mas o compromisso da CVTelecom com Cabo Verde não é só tecnológico, mas também, com a qualidade dos serviços! Assim, na sua trajectória de melhoria contínua dos seus serviços, a CVTelecom iniciou, em 2003, um projecto Qualidade que viria, em 2006, a dar origem a um Sistema de Gestão da Qualidade da CVTelecom e a atribuição pela APCER (Associação Portuguesa de Certificação), em Agosto de 2007, do certificado da qualidade no âmbito do processo “Apoio ao Cliente” e, em 2008, no âmbito “Serviço ao Cliente”.
 


A Marca

A CVTelecom sempre encarou os desafios com normalidade e determinação, procurando antecipar, pela avaliação estratégica, as respostas às mudanças previsíveis na envolvente externa.
Desde os primórdios anos de 1919, data da primeira rede telefónica em Cabo Verde (em 1874 os ingleses amarrariam o Cabo Submarino Inglaterra / Brasil em S Vicente mas para o serviço telegráfico de apoio à armada britânica), que o sector se confundia com os CTT e, depois, com a CVTelecom, num ambiente de monopólio.
Mas os ventos da liberalização das telecomunicações começaram a soprar pelo mundo e, tarde ou cedo, chegariam em Cabo Verde, o que veio a acontecer, no ano de 2005, com a entrada em vigor da Lei - Quadro das Comunicações Electrónicas.
As empresas do grupo CVTelecom enfrentaram o desafio da concorrência com normalidade pois, há muito, vinham, através de reformas internas, posicionando-se de empresas tecnológicas para empresas de serviços.
Nesse âmbito, o ano de 2005 simbolizou, a entrada de um novo ciclo na história da empresa marcado com uma nova imagem institucional com base nos conceitos Aproximação e Performance.
 


Evolução dos Serviços e Produtos
 

Até 1979, os únicos produtos de telecomunicações em Cabo Verde eram a voz e o telégrafo. Nesse ano, é introduzido o telex, suportado numa velhinha central retirada das instalações portuguesas e, depois, em 1985, por uma central digital EDX que viria a ser descontinuado, assim como o serviço.
O serviço de Dados e de Internet foram introduzidos em 1997, sendo a Internet de Banda Larga, a ADSL, introduzida em 2004.
O serviço Móvel GSM começou a ser comercializado, em primeiro lugar nas ilhas de Santiago, S Vicente e Sal, em Janeiro de 1998, e, depois, em todas as ilhas e centros urbanos, proporcionando, hoje, serviços móveis de voz, dados e imagens com o standard GPRS/EDGE.
Em 2005, a CVTelecom obtém uma licença para distribuição de TV por assinatura, consagrando-a como empresa de serviços de comunicações globais estruturada juridicamente, a partir de 2006, na empresa mãe, a CVTelecom, e nas empresas CVMóvel e CVMultimédia.
 


O ambiente social
 

A completar o ciclo das tecnologias e dos serviços, a CVTelecom preocupa-se com outros avanços da humanidade, a começar pelos seus colaboradores e accionistas, proporcionando-lhes, respectivamente, um ambiente de trabalho de referência no País e uma remuneração adequada aos seus investimentos.
Não ficando por aqui, a CVTelecom aderiu, em 2008, ao Pacto Mundial lançado pelas Nações Unidas em 2000 com o objectivo de fomentar a cidadania corporativa através da mobilização da comunidade empresarial internacional para a adopção, nas suas práticas de negócios, de valores fundamentais e internacionalmente aceites nas áreas de Direitos Humanos, Relações de Trabalho, Meio Ambiente e Combate à Corrupção, reflectidos em 10 Princípios.
Ancorado na sua adesão ao Pacto Global e enquanto membro fundador da Aliança para o Desenvolvimento Social – ADS e para assegurar um correcto entendimento de todas as partes interessadas do seu real compromisso com a promoção do desenvolvimento sustentável em seus projectos, investimentos e empreendimentos, o grupo CVTelecom adopta, em 2009, uma Política de Sustentabilidade.
De igual modo e no mesmo ano, o Grupo CVTelecom, ciente da sua Responsabilidade Social e considerando sua missão contribuir para o desenvolvimento sustentável do País através da sua participação nos esforços globais de protecção ao meio ambiente, adopta uma Política Ambiental com base numa melhoria contínua dessa participação, no envolvimento e engajamento dos colaboradores nas acções, na diminuição de desperdícios e na prevenção da poluição.